Visualizar todas as postagens arquivadas sob '…'

Não havia nada para dizer…

quarta-feira, 17. fevereiro 2010 15:41

Como alguns devem ter notado, as Poesias Ruins finalmente estão indo para o site (todas indicadas com a respectiva categoria)… Não iam por uma questão de ego. Ego o qual foi convencido quando concordei em colocar uma ruim acompanhada de uma outra das regulares (que para muitos talvez sejam até piores). Como havia um pressuposto pacto de que tudo iria, resolvido o método prevaleceu o pacto.

Muitos (ou talvez ninguém) quiçá tenham notado a disparidade de estilo, conteúdo, idéias. Nada mais justo uma vez que os poemas aparecem no site tão somente seguindo a lógica do meu bel prazer, e nenhum sentido cronológico (o que seria, não impossível, mas no mínimo vago, uma vez que nada foi datado). Visto que eles abrangem um arco de praticamente 20 anos de criação(?) a disparidade é mais que esperada (e diria até “bem-vinda”).

E por último, gostaria de dizer que os comentários são a alegria do site. Toda vez que alguém faz um comentário uma criança é salva da morte por inanição na Romênia.

No final de cada postagem há um link para que se possa fazê-lo:

image

 

 

 

Comentem sim? A Administração agradece!

Categoria: ..., Poesias Ruins {Po(v)e(r)t[r]y} | Comentários (8) | Autor: | 1.019 visualizações

Poesias ruins

terça-feira, 8. setembro 2009 10:28

Muito em breve começarei a postar poesias ruins. Vou criar uma categoria para elas de forma que as almas fiquem de sobreaviso. Rimas piores do que as convencionais, métricas ainda mais ridículas, conteúdo com um quê adolescente insuportável ou uma espiritualidade pedante. O porquê? Sei lá, vai que de repente alguém gosta.

Categoria: ..., Poesias Ruins {Po(v)e(r)t[r]y} | Comentar (0) | Autor: | 1.888 visualizações

Introitus, Dies Irae, no Kyrie Eleison for me

quinta-feira, 20. agosto 2009 4:23

Após “séculos” perseguido por folhas amareladas (não importa onde as aprisionasse, não havia armário, gaveta, sótão, que as mantivesse muito tempo longe da minha mente), decidi finalmente publicar as minhas insanidades de alguma forma. Não como quem tem alguma pretensão à grandiosidade mas, com mais acerto, como quem tem uma pedra no sapato por 20 anos e então, sem muita pressa, começa a pensar que precisa fazer algo a respeito.

A idéia deste blog é publicar material alternativo ao meu livro, que surgirá por aí nos meses vindouros.

Poderia desejar uma boa leitura, mas realmente não credito que isso vá acontecer…

(José Au)Gu(s)to Meirelles

PS: Lacūs: latim nominativo plural para “lago”. Registrar domínios ultimamente exige criatividade.

Categoria: ... | Comentários (1) | Autor: | 920 visualizações

SEO Powered by Platinum SEO from Techblissonline