{Po(v)e(r)t[r]y} Maia

É, as coisas são mesmo assim,
Incógnitas dilacerantes,
Preocupações sem sentido
E idéias desconcertantes.

Tanto desejo temos,
Tanto fizemos
E nos dizem: “É Maia! Ilusão!”
E mais ilusão me parece essa crença sem razão.

A vida não tem sentido?!
E daí?
A morte também não
E nem por isso cedi!

Estamos aqui e perguntamos:
“Por que?”
Mas não sabemos nem se existe um “lá”
Para procurar.

Vamos viajar?
Sair por aí?
Procuramos sentido e esse não há!
Vamos curtir!

Perdi o tesão de escrever
E você também já deve ter perdido o de ler.

Acabou!!!

Autor: | 702 visualizações
Data: sábado, 3. janeiro 2009 0:20
Trackback: Trackback-URL Categoria: Interlúdio, Poesias Ruins {Po(v)e(r)t[r]y}

Feed para a postagem RSS 2.0 Comentar esta postagem

1 Comentário

  1. 1

    Para essa deveria existir a categoria “mais que ruim” !

Enviar comentário

SEO Powered by Platinum SEO from Techblissonline