{Po(v)e(r)t[r]y} Subconsciencioso versejar

Unir a imagem ao fato
É algo abstrato
No meu escrever.

Parece que a poesia me escorre pelos cantos da boca
E de forma louca
Me faz delirar.

Parecem as palavras ligadas por correntes
Umas às outras e à pedaços de sentimentos incoerentes,
E quando se joga um extremo da mesma ao mar,
Se o peso for suficiente para o resto puxar,
Tudo da alma ela vai tirar
Até o poço da imaginação esvaziar
E secar
No meio de tantas rimas terminadas em “ar”.

E nada quer ensinar!
Meu versejar
Se assemelha mais ao vomitar
Do que ao divagar:
Vomitar de rimas terminadas em “ar”.

Bem, um extremo já foi ao mar
E a corrente não vai mais se alargar
Com essas rimas terminadas em “ar”…

Autor: | 677 visualizações
Data: sábado, 3. janeiro 2009 0:50
Trackback: Trackback-URL Categoria: L'Art, Poesias Ruins {Po(v)e(r)t[r]y}

Feed para a postagem RSS 2.0 Comentar esta postagem

Enviar comentário

SEO Powered by Platinum SEO from Techblissonline