{Po(v)e(r)t[r]y} Ódio de mim

Ódio!
Repugnância de mim sinto!
Podridão assim
Criação minha é!

E não outra!
Vêde que desde o primeiro suspiro de amor
Fui traidor!

Porque não fui forte o suficiente
Para manter-me fervente
No amor que suscitei!
Na vida que criei!

Pelos toques e apelos de uma meretriz…
Ah! Traí-te! Como se fosses para mim
Tão somente um belo pedaço de carne!
Ah! Ódio de mim!

Por declarar-te fidelidade
Enquanto estava de beijos
Com a minha maldade,
Com meus vis desejos!

Ah sonho! Como não acordei de ti!
Traí-me! Me esqueci!
Pior! Traí à ti!
Que será de mim?

Não quero ser igual
Aos demais que vomitam
Doces palavras
Enquanto sua mentira praticam!

Quero amar-te acima de tudo!
E se a alguém entregarei
Meu corpo e tudo no que acreditei,
Será à ti! Essa é a minha lei!

Ah! Ódio de mim!
Que não pensei em ti.
Que não cogitei
O erro que cometi!

Ah! Ódio de mim!
Por ser assim fraco!
Por ser assim como sou,
Por ser opaco!

Mentiroso!
Desgostoso da vida.
Não faça disso despedida!

Alivia meu pesar!
Não encerra o cantar!

Autor: | 658 visualizações
Data: sábado, 3. janeiro 2009 4:40
Trackback: Trackback-URL Categoria: Poesias Ruins {Po(v)e(r)t[r]y}, Teen Drama

Feed para a postagem RSS 2.0 Comentar esta postagem

Enviar comentário

SEO Powered by Platinum SEO from Techblissonline